SOCIEDADE GOIANA DE PROTEÇÃO AOS ANIMAIS
Quinta,
21 de Ago
 
TODOS OS ANIMAIS DESTE SITE FORAM ABANDONADOS
   
CENTRO DE ZOONOSES DE GOIÂNIA - A REALIDADE

É REVOLTANTE A POLÍTICA DO CENTRO DE ZOONOSES DE GOIÂNIA.....

A PREFEITURA DE GOIÂNIA E O CCZ QUEREM EXTERMINAR TODOS OS ANIMAIS DA CIDADE, ABANDONADOS OU NÃO!!!

DIANTE DE MATÉRIA VEICULADA NO JORNAL DIÁRIO DA MANHÃ, ONDE O NOVO DIRETOR DO CENTRO DE ZOONOSES DE GOIÂNIA SE MOSTRA ABERTO PARA PARCERIAS COM ONGS DE PROTEÇÃO ANIMAL, DEVEMOS TECER ALGUMAS  PODERAÇÕES:

                                        O CCZ NA REALIDADE NÃO AGUARDA O TEMPO REGULAMENTAR DE 72 HORAS  PARA SACRIFICAR OS ANIMAIS APREENDIDOS- ASSIM QUE ELES CHEGAM SÃO ENVIADOS PARA A CÂMARA DE GÁS, QUE NA VERDADE É CONSTITUÍDA DE UM MOTOR DE FUSCA QUE, QUANDO LIGADO, GERA MONÓXIDO DE CARBONO EM UM CUBÍCULO DE CIMENTO (FOTO ABAIXO). NESTE CUBÍCULO, SÃO JOGADOS CERCA DE 100 ANIMAS DE CADA VEZ, TODOS JUNTOS, CÃES PEQUENOS E GRANDES, GATAS PARIDAS COM NINHADAS, ANIMAIS SADIOS E DOENTES. OS ANIMAIS DEMORAM CERCA DE 20 MINUTOS PARA MORREREM, MESMO ASSIM OS MAIS FORTES SAEM DA CÂMARA AGONIZANDO. AS SUSPEITAS DE QUE EXISTEM ANIMAIS SENDO ENTERRADOS VIVOS É GRANDE.

NO ANO PASSADO FORAM APREENDIDOS MAIS DE 17.000 ANIMAIS E MAIS DE 15.000 PERDERAM A VIDA NA CÂMARA DE GÁS. TUDO ISSO PELA FALTA DE VONTADE  DAS NOSSAS AUTORIDADES, E DESEJO DE TOMAR O CAMINHO MAIS FÁCIL.

TODO O PROCESSO ATUAL DE EXTERMÍNIO É SUPERVISIONADO PELOS PRÓPRIOS LAÇADORES, SEM QUALQUER ACOMPANHAMENTO TÉCNICO, O QUE É INCONCEBÍBEL DO PONTO DE VISTA MORAL, PROFISSIONAL E ÉTICO PARA AS AUTORIDADES, FUNCIONÁRIOS E TODA A POPULAÇÃO.

ENQUANTO NÃO FOR INICIADA A CASTRAÇÃO EM MASSA DOS ANIMAIS DO MUNICÍPIO, ESTE NÚMERO VAI AUMENTAR, SENDO ESTE O ÚNICO MÉTODO QUE CONTROLARÁ O PROBLEMA DE SUPERPOPULAÇÃO ANIMAL EM GOIÂNIA, ONDE SERÃO CASTRADOS APENAS 10% DA POPULAÇÃO CANINA E FELINA EXISTENTE NO MUNICÍPIO PARA O CONTROLE DEFINITIVO DO PROBLEMA.

VÁRIAS CIDADES NO BRASIL POSSUEM ESTE PROGRAMA, ONDE A CASTRAÇÃO SAI EM MÉDIA AO PREÇO DE R$ 5,19 (CINCO REAIS E DEZENOVE CENTAVOS), VALOR IRRISÓRIO TENDO EM VISTA O QUE SE GASTA COM O MÉTODO DE EXTERMÍNIO ATUAL PRATICADO PELO CCZ GOIANIA (MANUTENÇÃO CARROCINHAS, PESSOAL, COMBUSTÍVEL, ETC...).                                       

AS CASTRAÇÕES PODERIAM SER REALIZADAS  PELOS 12 VETERINÁRIOS QUE TRABALHAM NO CCZ, JÁ QUE SÃO PAGOS PARA TRABALHAR EM PROL DA POPULAÇÃO E DOS ANIMAIS (SEGUNDO O JURAMENTO QUE FIZERAM QUANDO SE FORMARAM).

 

FOTO DA CÂMARA DE GÁS:

 

                                     

 AO CONTRÁRIO DO QUE ALEGA O NOVO DIRETOR DO CENTRO DE ZOONOSES, NÃO EXISTE QUALQUER POSSIBILIDADE DE PARCERIA PARA A VIABILIZAÇÃO DE ADOÇÕES DESSES ANIMAIS, VEZ QUE NOVA REUNIÃO FORA FEITA NO MÊS DE ABRIL DE 2005, E O MESMO FOI CATEGÓRICO AO AFIRMAR QUE NÃO PERMITIRÁ QUALQUER ATIVIDADE RELACIONADA A ADOÇÕES DENTRO DO CCZ.

                                   NADA MUDOU, SOMENTE O NOME DO DIRETOR. INFELIZMENTE NÃO TEMOS OUTRA ALTERNATIVA A NÃO SER PROTESTAR SOBRE A POLÍTICA DE MATANÇA DE ANIMAIS INOCENTES. 

É ESTE O FIM DOS ANIMAIS QUE CAEM NAS GARRAS DO CCZ......ATÉ QUANDO????

 

PARA SABER MAIS:

http://www.carrocinhanuncamais.com/goiania.html

 

RESENHA DO 1º SEMINÁRIO NACIONAL - NOVAS DIRETRIZES PARA CENTROS DE CONTROLES DE ZOONOSES - BH - 07/2005

DA ESQ P/ DIREITA: CLÁUDIA(TESOUREIRA SGOPA), DR. THALEZ THREZ, ANA MARIA(PRESIDENTE SGOPA) E ALESSANDRA (SECRETÁRIA SGOPA)

SUPERPOPULAÇÃO DE ANIMAIS DOMÉSTICOS

A semente de uma mudança

Pela primeira vez, se realizou no Brasil, um evento internacional despojado de eufemismos e baseado no respeito pelo valor supremo da vida.

O 1º Seminário Nacional Novas Diretrizes para os Centros de Controle de Zoonoses aconteceu em Belo Horizonte, nos dias 1 e 2 de julho passado.

O público, que superou 400 pessoas, vindas de 8 estados brasileiros, reuniu todo o espectro possível de interessados em buscar soluções éticas para o problema do extermínio de cães e gatos no Brasil.

Desta maneira, estiveram presentes: legisladores, representantes da justiça, dirigentes e funcionários de Centro de Controle de Zoonoses e outros órgãos afins, representantes de Associações Veterinárias, Organizações não Governamentais nacionais e internacionais, professores e estudantes universitários, representantes da polícia, representantes de laboratórios e público em geral das seguintes cidades, além de Belo Horizonte:

Almirante Brown (Buenos Aires, Argentina), Fortaleza – CE, Manaus – AM, Brasília – DF, Teresina – PI, Taguatinga – DF, Campo Grande – MS, Goiânia – GO, Luziânia – GO, Palmas – TO, Curitiba- PR,  São José dos Pinhais – PR, Itajaí – SC, Laguna – SC, São Leopoldo – RS, Sapucaia do Sul – RS, Porto Alegre – RS, Alegre – ES, Guarujá – SP, Barueri – SP, Araraquara – SP, Cotia – SP, Guarulhos – SP, Jundiaí – SP, São Caetano do Sul – SP, São Paulo – SP, Alfenas – MG, Alpinópolis – MG, Alto Jequitibá – MG, Antônio Carlos – MG, Araxá – MG, Arcos – MG, Arinos – MG, Barbacena – MG, Betim – MG, Bicas – MG, Bom Despacho – MG, Bom Repouso – MG, Botelhos – MG, Cachoeira da Prata – MG, Cambuí – MG, Campo Belo – MG, Campo do Meio – MG, Capinópolis – MG, Capitão Andrade – MG, Caratinga – MG, Carlos Chagas – MG, Carmo da Mata – MG, Carmo de Minas – MG, Carmo do Cajuru – MG, Cataguases – MG, Catas Altas – MG, Congonhas – MG, Conselheiro Lafaiete – MG, Contagem – MG, Coração de Jesus – MG, Divinópolis – MG, Divisópolis – MG, Engenheiro Caldas – MG, Espera Feliz – MG, Extrema – MG, Formiga – MG, Goianá – MG, Governador Valadares – MG, Guaxupé – MG, Ibirité – MG, Inconfidentes – MG, Indianópolis – MG, Ipatinga – MG, Ipuiuna – MG, Itabirito – MG, Itajubá – MG, Itamarandiba – MG, Janaúba – MG, Juatuba – MG, Juiz de Fora – MG, Lagoa da Prata – MG, Lagoa Santa – MG,  Lavras – MG, Lima Duarte – MG, Machado – MG, Manhuaçu – MG, Manhumirim – MG, Martinho Campos – MG, Matias Barbosa – MG, Matozinhos – MG, Medina – MG, Montes Claros – MG, Morada Nova – MG, Muriaé – MG, Nova Era – MG, Nova Lima – MG, Nova Serrana – MG, Ouro Branco – MG, Ouro Fino – MG, Pará de Minas – MG, Paraisópolis – MG, Patos de Minas – MG, Pinheiro Chagas – MG, Piranga – MG, Pitangui – MG, Poços de Caldas – MG, Ponte Nova – MG, Raposos – MG, Ribeirão das Neves – MG, Sabará – MG, Sabinópolis – MG, Santa Bárbara – MG, Santa Luzia – MG, Santana de Cataguases – MG, Santos Dumont – MG, São Domingos do Prata – MG, São Gonçalo do Abaeté – MG, São Gonçalo do Rio Abaixo – MG, São João Batista do Glória – MG, São João Del Rei – MG, São João Nepomuceno – MG, São José da Barra – MG, São Lourenço – MG, São Sebastião do Oeste – MG,  São Sebastião do Paraíso – MG, São Tiago – MG, São Tomás de Aquino – MG, Sete Lagoas – MG, Teófilo Otoni – MG, Timóteo – MG, Tiradentes – MG, Tocantins – MG, Tombos – MG, Três Marias – MG, Tupaciguara – MG, Uberlândia – MG, Unaí – MG, Várzea da Palma – MG, Vespasiano – MG, Viçosa – MG, Visconde do Rio Branco – MG.

Durante o seminário foram expostos exemplos bem sucedidos de controle populacional que não contemplam o extermínio de animais e que recorrem ao sistema de esterilização em massa como instrumento facilitador de aproximação entre a população e os animais. Este novo modelo de política pública tem a intenção de reverter o processo de desvalorização a que foram historicamente submetidos os animais com o uso das chamadas carrocinhas.

Especificamente, foram exibidos vídeos do Município de Almirante Brown com um inovador método de ritmo de campanha em massa, economia de recursos e simplificação das manobras cirúrgicas. 

Em 1992, quando a Organização Mundial de Saúde alertou sobre a ineficácia do extermínio, inúmeras cidades argentinas iniciaram um processo de reforma nas funções dos CCZs. Grandes conglomerados urbanos como Rosário, Almirante Brown, Berazategui e Morón adotaram essa metodologia que se mantém através dos anos, apesar das mudanças políticas.

A esterilização com seus efeitos benéficos prolonga a vida dos animais. Esta é a conseqüência de maior impacto do programa, por ser o afiançamento dos vínculos afetivos, a arma mais poderosa para se conseguir uma guarda responsável. A mudança de conduta na comunidade, resulta em crescimento econômico para o setor veterinário, uma vez que se calcula que  80% dos gastos veterinários acontecem nos 3 últimos anos da vida do animal, quando este chega à  idade avançada. A esse respeito também se mencionou um estudo que recomenda às clínicas veterinárias, oferecer a seus pacientes, o serviço de vacinação e esterilização a baixo custo, único método capaz de garantir a cada clínica uma grande população geriátrica.

O final do evento que estava programado para as 18h, se estendeu até às 21h:30, devido ao enriquecedor debate final, onde grande parte dos participantes manifestou seu entusiasmo por multiplicar este tipo de evento em seus respectivos estados.

Os que estudam este tema na Argentina por mais de uma década, explicaram que esta reforma, por ser um enorme processo de inversão do pensamento convencional e adaptação às características de cada município, geralmente acontece em cidades de porte médio. Em relação às grandes cidades, essas necessitam mais tempo para reorganizar sua complexa e burocrática estrutura.

Outro importante tema tratado por diferentes palestrantes foi o da vivissecção e sua relação com os Centros de Controle de Zoonoses que freqüentemente fornecem animais capturados nas ruas para servirem de experimentação durante as aulas de cursos de medicina humana e medicina veterinária, entre outros.

Em conversas informais entre as ONGs presentes falou-se sobre a necessidade de se formar uma rede nacional de entidades que defendam os princípios de uma política orientada para a vida. Movimentos semelhantes conseguiram grandes mudanças na Argentina e Uruguai, a partir da década de 90.

Segundo considerações de Marisa Antoniazzi, palestrante da Argentina que nos visitou, as cidades mineiras têm características que as deixariam aptas para começar projetos que se tornem modelos de referência no país.

Como atividade prévia ao Seminário e aproveitando a visita da palestrante argentina, se realizou uma apresentação extra, a qual assistiram representantes das cidades vizinhas a Belo Horizonte, como Contagem, Itabirito e Betim.

Estes municípios se manifestaram entusiasmados por iniciar uma reforma e adaptar-se aos novos tempos.

O mundo inteiro está buscando uma saída ética para o problema de superpopulação de animais. As cidades que compreenderem que governar é educar, serão as que estarão na vanguarda e indicarão qual caminho a seguir.

 

Belo Horizonte, Julho de 2005

Comissão Organizadora do 1º Seminário Nacional  Novas Diretrizes para os Centros de Controle de Zoonoses

Animais Urbanos do Brasil

EM BREVE ACESSE : http://www.embh.com.br/seminario e tenha acesso a mais informações sobre as palestras ministradas, conteúdo e fotos do seminário

Busca:
A D O T E A Q U I SEU ANIMALZINHO!!!
CONHEÇA AQUI OS ANIMAIS QUE AGUARDAM ANSIOSAMENTE POR UM LAR.

AMIGO NÃO SE COMPRA, SE ADOTA!!!
 

 
[ Home ]  |  [ ]  |  [ POSSE RESPONSÁVEL ]  |  [ CERTIFICADO ]  |  [ CASTRAR OU NÃO CASTRAR SEU ANIMALZINHO??? ]  |  [ SAIBA AQUI COMO AJUDAR A SGOPA. CONHEÇA AS VÁRIAS FORMAS DE CONTRIBUIR COM A CAUSA ANIMAL. FAÇA SUA PARTE!!! ]  |  [ ATIVIDADES DA SGOPA ]  |  [ CENTRO DE ZOONOSES DE GOIÂNIA - A REALIDADE ]  |  [ CONHEÇA A HISTÓRIA DA NATY! ]
 
Powered by Connection Network System ©
IP Geolocation